Dia após dia, a medicina tem evoluído com o objetivo de detectar de maneira precoce o surgimento do câncer de mama e também no que diz respeito ao tratamento, porque quando descoberto ainda em fase inicial, a chance de cura chega a 100%.

Por isso, não só a prevenção como também o autoexame e os exames de rotina são cuidados que as mulheres não podem deixar de lado. O autoexame deve ser feito todo mês, logo após a menstruação.

Diante do aparecimento de nódulos nas axilas ou nas mamas, alteração no contorno natural das mamas, desvio ou retração do bico dos seios, retrações da pele das mamas ou saliências, descamação da aréola ou ao redor do bico ou, ainda, a presença de sangue ou secreções ao apertar o mamilo, é hora de buscar ajuda médica!

Porém, as mulheres não devem ir apenas ao ginecologista diante do surgimento de algum desses sintomas, a ida ao médico deve ser anual.

As completar 35 anos, toda mulher deve fazer uma mamografia e após os 40 anos, a realização é anual. Contudo, se ela estiver classificada como alto risco de desenvolver a doença, o controle deverá ser realizado ainda mais cedo.

São classificadas como de alto risco: aquelas que tem um ou mais parentes de primeiro grau (mãe, filha ou irmã) que desenvolveram a doença antes dos 50 anos; parentes de primeiro grau que tiveram câncer de ovário ou de mama bilateral; histórico na família de câncer de mama masculina ou, ainda, lesão mamária que foi comprovada por meio de biopsia.

Ano após ano, segundo dados da Instituto Nacional do Câncer (Inca), a mortalidade vem caindo 0,6% e isso se dá, devido não só o avanço da medicina como também a maior divulgação de informações sobre não só a prevenção da doença como também como se prevenir.

É fato que o câncer de mama atinge majoritariamente as mulheres, porém, os homens também podem sofrer com essa doença. Por esse motivo, o melhor é buscar sempre a prevenção e esse é o nosso objetivo, pois queremos manter sempre os nossos leitores informados para quem eles tenham uma vida saudável e livre de doenças!