O dia-a-dia de cuidadores de adultos e idosos comprometidos é repleto de desafios. Muitos desses desafios estão em tarefas “simples”, como transferir o cliente da cama para cadeira de rodas. Sendo assim, o Reab resolveu pesquisar e ajudar profissionais, incluindo os cuidadores, a ter em mãos dicas que ajudarão na realização de atividades cotidianas.

 

Para a transferência:

1. O primeiro passo é organizar o entorno, ou seja, o cliente e a cadeira.

O cliente deve estar sentado e a cadeira de rodas a 45 graus da cama. O profissional que irá realizar transferências deve estar na frente do cliente e ao lado da cadeira de rodas (de forma que o assento esteja virado para o profissional). Uma dica importante: se o cliente tem um lado do corpo comprometido, vamos deixar o lado saudável virado para a cadeira (veja o vídeo e entenda melhor). Lembre-se: antes de começar a transferência assegure-se que o freio está ativado, que o braço da cadeira foi levantado e que o apoio dos pés está recolhido (algumas cadeiras não vão possuir mobilidade em algumas partes, mas se houver, siga essas instruções).

O cliente deve estar sentado na beira da cama, com os pés bem apoiados no chão e o tronco inclinado para frente. O profissional deve se posicionar à frente do cliente, pedir que ele coloque as mãos sobre os ombros do profissional (se um braço estiver comprometido, só será apoiado o braço são). As mãos do profissional podem estar sobre os ombros do cliente, sobre as escápulas ou ainda segurando a calça/short do cliente.

 

2. O segundo passo é orientar o cliente o que será feito e como ele deve participar. O profissional combinará com o cliente que ao contar três (1, 2, 3…) ele será elevado em direção à cadeira de rodas e deve participar o máximo que conseguir.  Em seguida, o profissional faz a contagem, inclinando mais o corpo do cliente à medida que conta e, quando o cliente levantar, continua a dar a orientação ao cliente, pedindo para ele girar o corpo em direção à cadeira.

 

3. O terceiro passo consiste em sentá-lo e perceber se está bem posicionado no assento, com o tronco sobre o encosto, para que os pés possam ser colocados sobre os apoios e o braço da cadeira abaixado.

E se o cliente é muito dependente e não consegue participar da mobilização?

– Se o cliente pode manter os pés no chão e consegue sustentar o peso do corpo:

Neste caso, são necessárias duas pessoas, uma de cada lado do cliente. Cada profissional colocará uma mão sobre o a escápula (alguns chamam “pá das costas”) e a outra deve segurar na calça/short do cliente. Percebam que a profissional que aparece no vídeo abaixo está com o braço esquerdo dela sobre a escápula e a mão direita segurando a calça do cliente.

Uma vez posicionados, os profissionais vão fazer os mesmos movimentos e darão as mesmas orientações ao cliente.

– Se o cliente NÃO pode manter os pés no chão e  NÃO consegue sustentar o peso do corpo: 

Neste caso, serão necessárias 2 pessoas. Estas se posicionarão cruzando o braço nas costas do cliente para segurar na calça/short do lado contrário e colocarão o outro braço embaixo do joelho do cliente.

 

Fonte: site Reab.me