“Zelo”

Idosos, são crianças aprendendo a andar, precisam de cuidado, de colo, de zelo.

Machucam-se com facilidade, choram.
Sua diferença não está no corpo envelhecido e cansado,
Marcado pelo tempo, mas nas feridas da alma.
Na bagagem que carregam, de tudo que já viveram, ensinaram,
E que agora precisam dar as mãos novamente para andar, totalmente dependentes.

Quando vejo um idoso abandonado ou sendo maltratado,
Sofrendo a dor da solidão, que machuca mais que as dores e as limitações físicas,
Têm ainda mais convicção de nossa pequenez,
De que não importa quanto de dinheiro você ganhe,
Que status ocupa, tão pouco quão importante e poderoso tenha sido,
Nós simplesmente não valemos nada nesse mundo.

Morreremos todos da mesma maneira.
E daqui, nada levaremos senão o amor,
A alegria e tudo quanto pudemos semear no coração de alguém.

Letícia Piva