Secretarias de turismo, desenvolvimento e esporte anunciam ações para a população idosa

O programa “São Paulo Amigo do Idoso”, lançado nessa segunda, 14, pelo Governo do Estado, inclui ações de várias secretarias, com novidades que vão desde a implantação de Centros de Convivência até parcerias com colônias de férias e a criação do Cartão Esporte do Idoso. “O Estado de São Paulo quer ser o primeiro estado amigo do idoso. Vamos ter a melhor idade organizada”, afirmou o governador Geraldo Alckmin.

 

selo-amigo-do-idoso

 

Desenvolvimento Social

A Secretaria do Desenvolvimento Social vai investir R$ 89,8 milhões na implantação de 249 Centros de Convivência voltados para a integração dos idosos e 100 Centros-Dia do Idoso, atendendo a municípios de médio e grande porte que não possuem esse serviço.

“Vamos dar uma alternativa para as famílias, que poderão deixar o idoso pela manhã nos centros-dia, com diversas atividades sociais, e buscá-los ao final da tarde, preservando a qualidade de vida e não perdendo os vínculos familiares”, disse o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia. Com esta ação, o Estado de São Paulo irá garantir que todos os municípios com mais de 50 mil habitantes tenham pelo menos um Centr o-Dia para Idosos.

“A política estadual do idoso está centrada na constatação de que hoje o Brasil é um país maduro e, portanto, as ações do governo do Estado de São Paulo devem levar em conta essa realidade”, acrescentou o secretário.

 

Turismo

No programa “São Paulo Amigo do Idoso”, também será implantado o projeto “Melhor Viagem SP”, que vai beneficiar, anualmente, 6,4 mil idosos acima de 60 anos residentes em municípios com até 30 mil habitantes. Por meio de parcerias com colônias de férias e prefeituras, o projeto tem como objetivo permitir que os idosos de São Paulo viajem para outras localidades do Estado diferentes daquela que residem, promovendo inclusão e sociabilidade.

“20 mil pessoas serão beneficiadas e passarão uma semana em colônias de férias ou hotéis que ficam ociosos no período de baixa temporada”, disse o secretário estadual de turismo, Márcio França.

 

Esporte, Lazer e Juventude

Na área do esporte e lazer, o Governo de São Paulo vai investir R$ 450 mil para criar o Cartão Esporte do Idoso. A Secretaria de Esporte fornecerá, por meio de cartão de débito, a quantia de R$ 57 por mês para pessoas com idade acima de 60 anos, na faixa econômica limitada a três salários mínimos para práticas de atividades físicas e de lazer em clubes ou academias de ginástica. “Nós vamos dar uma carteirinha para a pessoa poder, em uma academia de ginástica, fazer atividade monitora por um professor, gratuitamente”, disse Alckmin.

O projeto será implantado inicialmente na região metropolitana de São Paulo e beneficiará, ainda em 2012, cerca de 600 idosos.

Pioneiro no país, o programa vai implantar serviços modelos na área de assistência e incentivar os municípios paulistas a promoverem a melhora da qualidade de vida das pessoas com 60 anos ou mais. A iniciativa também cria pela primeira vez um “Estado Amigo da Pessoa Idosa”, primando pelo envolvimento de toda a sociedade na defesa pelos direitos dos idosos. Hoje, os idosos já representam 11% da população do Estado de São Paulo, somando cerca de 4,6 milhões de pessoas.

O programa contou com a consultoria do médico e pesquisador em saúde pública Alexandre Kalache, que dirigiu o Programa Global de Envelhecimento e Saúde da OMS (Organização Mundial de Saúde).

O governador assinou ainda o ato de designação dos membros do Conselho Estadual do Idoso para o mandato de dois anos, além do projeto de lei que cria o Fundo Estadual do Idoso, para ações integradas de combate à extrema pobreza envolvendo a terceira idade. “Queremos que os 645 municípios [de São Paulo] tenham o conselho municipal do idoso e o fundo municipal para receber o repasse”, salientou Alckmin. O fundo será gerido pelo Conselho Estadual do Idoso e vai viabilizar a captação de recursos do segundo setor por meio de renúncia fiscal.

 

Governo investe R$ 29,6 milhões em ações de saúde para terceira idade

Iniciativa faz parte do conjunto de políticas públicas anunciado nessa segunda, 14. A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo vai investir R$ 29,6 milhões na implantação de hospitais de retaguarda, quatro polos regionais de referência e um centro-dia de cuidados intensivos voltados à terceira idade.

O Laboratório Centro-Dia Idoso (LCDI) será construído no campus da USP Leste, com investimento de R$ 5 milhões. A unidade prestará assistência para cerca de 300 idosos semidependentes, moradores da zona leste de São Paulo, com limitações físicas ou cognitivas, e também dará apoio às famílias.

Além disso, haverá um centro de ensino e pesquisa para formação de recursos humanos especializados. O LCDI contará também com serviços de retaguarda como o Centro Dia Social e o Atendimento Domiciliar. A previsão é que a unidade seja inaugurada no segundo semestre de 2013. A Secretaria deverá fazer repasses para o custeio do centro, no valor de R$ 2,4 milhões por ano.

 

Centros de Referência ao Idoso

Outra iniciativa será a criação de quatro novos Centros de Referência ao Idoso (CRIs), nas regiões de Ribeirão Preto, Campinas, ABC e Baixada Santista. Os CRIs serão polos regionais de promoção de envelhecimento ativo e centros formadores geriátricos, com especialidades médicas, atividades educacionais, culturais e de lazer. Atualmente, há duas unidades estaduais com este perfil em funcionamento: os Centros de Referência do Idoso (CRI) da Zona Norte e o da Zona Leste da capital paulista. Até o segundo semestre de 2014, as quatro unidades devem ser inauguradas, com um investimento total de R$ 20 milhões para as construções e custeio anual de R$ 57,6 milhões.

“Os CRIs têm toda a assistência médica e odontológica, informática, salão de beleza, salão de baile. Enfim, é um sucesso e nós vamos levar para mais quatro regiões do Estado”, disse o governador Geraldo Alckmin.

 

Revitalização de hospitais

A pasta também vai investir R$ 4,6 milhões para revitalizar seis hospitais localizados no interior do Estado que serão transformados em unidades hospitalares de retaguarda para cuidados integrados a idosos, denominados hospitais de cuidados continuados. As unidades ainda vão receber, no total, R$ 7,2 milhões para apoio do custeio anual.

“Envelhecimento não é doença, envelhecimento é normal. Nós precisamos ter políticas públicas para a população mais idosa e principalmente oferecer a todas as pessoas de menor renda aquilo que as de maior renda têm”, salientou o governador.

Atualmente, duas unidades da região de Franca, a Santa Casa de Ipuã e a Santa Casa de Pedregulho já estão em reforma e devem começar a funcionar ainda neste ano. Até o segundo semestre de 2014, outras quatro unidades devem ser revitalizadas nas regiões de Araçatuba, Presidente Prudente, São José do Rio Preto e Marília, regiões com maiores índices de envelhecimento.

“O idoso precisa ser respeitado e incluído no contexto social de maneira geral. A expectativa de vida subiu e as pessoas com mais de 60 anos estão ativas, precisam de atenção especial e saúde garantida”, disse Giovanni Guido Cerri, secretário de Estado da Saúde.

 

Fonte:   Portal do Governo do Estado