Dúvidas? Ligue para:  11 2476-5134 de 2ª à 6ª das 09:00 às 18:00. (exceto feriados)

Saiba Como Prevenir a Síndrome de Imobilismo

Acabou aquela história que pessoas doentes e idosos precisam de repousos prolongados para se recuperar. Estudos recentes alertam que boas recuperações são aquelas que incluem movimento. Do contrário, alertam para uma síndrome silenciosa porém muito danosa: A Síndrome do Imobilismo. 

Tal se desenvolve em pacientes que permanecem em repouso prolongado, em geral como consequência de  doenças incapacitantes. 

Em alguns casos é possível que a mobilidade comprometida seja restabelecida com a ajuda de tratamentos, mas há situações de doenças progressivas e degenerativas que dificultam melhoras. Mesmo em casos graves assim, é possível tratamento, minimização de danos e medidas de conforto. 

Causas da síndrome de imobilismo

O tempo em que a pessoa fica acamada está diretamente ligada ao surgimento da doença, se tornando bastante comum em leitos hospitalares, onde os pacientes apresentam patologias e necessidades de tratamentos que muitas vezes impossibilitam que transite pelos lugares. 

Sendo assim, é a quantidade de tempo que a pessoa permanece estática que define a gravidade da síndrome. 

Até 10 dias sem movimentos é caracterizado como um simples repouso e não deve afetar a condição física do paciente. Após 12 dias o caso já merece alerta para imobilidade e depois de 15 dias é considerado decúbito de longa duração.  

Sintomas da síndrome de imobilismo

Os músculos das regiões inferiores e lombar são os primeiros a sentir os impactos da síndrome de imobilismo, porém, quanto mais tempo de debilitação, maior a perda de força muscular geral. 

Por isso, é importante sempre recorrer a profissionais da área para que o quadro não evolua. 

Os sintomas também podem variar apresentando comprometimento da parte cardiovascular, respiratória, muscular ,  metabólica , dermatológica, funcional e emocional. 

Tratamento da síndrome de imobilismo

A Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Psicologia e Enfermagem são excelentes aliadas para prevenção e tratamento desta síndrome, principalmente pelas possibilidades de intervenções ainda no leito. 

Na maioria dos casos são realizados alongamentos, exercícios musculares e respiratórios, mudanças periódicas de decúbito, que reduzem a dor e contraturas gerada nos músculos atingidos.  

Ainda é possível intervenções sócio-ocupacionais, e acolhimento emocional para paciente e familiares, promovendo assim qualidade de vida. 

 

Comentários

Deixe um Comentário

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

RECEBA EM SEU E-MAIL DICAS E INFORMAÇÕES DOS CUIDADORES

São diversos temas e dicas práticas de grande importância, sem custo algum.